(11) 99957 6821

Astrologia

A Astrologia é a ciência mais antiga de nossa humanidade. Desde a primeira vez que o homem parou para observar o céu, ele já a estava praticando. Nos momentos em que paramos e olhamos para dentro de nós mesmos, também estamos praticando a Astrologia, pois o que está em cima é como o que está em baixo.

Todo ser humano é manifestação direta do Cosmos; somos formados pela mesma substância que cria todos os Universos e faz de cada um de nós um Sistema complexo, formado por órgãos, glândulas, células, átomos que interagem em perfeição, mantendo a vida do organismo da mesma maneira com que os astros interagem, mantendo a vida de nosso próprio Sistema Solar. Portanto, conhecer Astrologia e praticá-la é conhecer e praticar o próprio Ser.

Na observação de si mesmo, pode-se conhecer o movimento dos Astros e estes já não coordenarão o movimento de nossas vidas, mas sincronizarão nossos passos à coreografia da dança cósmica e, dessa maneira, a Astrologia nos leva ao "Conhece-te a Ti mesmo", e este autoconhecimento nos conduz ao caminho direto do "Ama teu próximo como a ti mesmo".

Quando despertamos para a percepção de que somos todos feitos da mesma matéria, percebemos que somos parte do mesmo corpo e, assim, a individualidade dá lugar à consciência grupal, que é inclusiva e abrange a sabedoria universal.

Todos somos os doze signos do zodíaco interagindo, incessantemente, em nosso próprio DNA, e as configurações de nossa carta astral nos tornam o filtro de entrada de determinado raio ao planeta Terra. Conhecendo a manifestação destas forças em nosso mapa astral, encontramos a maneira de ação objetiva em nossas vidas para gerar a harmonia necessária entre nós e o Cosmos, e, consequentemente, descobrir que somos responsáveis pela criação de nosso mundo particular e que interferimos na formação e manutenção do mundo que nos cerca. Assim, encontramos a maneira de ação equilibrada para levarmos nossas vidas na integração com o Cosmos e todos os seres que o habitam.

“A concentração no horóscopo pessoal e o intenso interesse demonstrado pelos indivíduos em seus próprios insignificantes assuntos pode ser natural e normal, mas não deixa de ser míope. A consciência está em que somos partes integrantes de um Todo maior e que só o conhecimento da divina soma total pode revelar o mais vasto propósito.” (Alice A. Baley).